Fagundes magistral vai deixar saudade em ‘Bonsucesso’

Por Maricy Guimarães

Temina hoje uma das novelas mais bacanas dos últimos tempos, Bonsucesso, trama da Globo que teve como protagonistas Antônio Fagundes (como Alberto) e Grazi Massafera (a costureira Paloma). Bonsucesso foi uma trama muito bem amarrada, que envolveu a modernidade das redes sociais e a paixão pelos livros de forma brilhante. Foi possível mostrar que a convivência entre os dois é saudável e até necessária. E o público correspondeu à altura: desde 2012 a Globo não via uma audiência como esta para a faixa de horário.

Mas o que deixou o público extasiado foi a atuação de Fagundes lidando com a morte no penúltimo capítulo, acompanhado de um elenco não menos brilhante; Grazi Massafera confirmando sua excelência como atriz e os demais, Fabíula Nascimento (Mariana) Lúcio Mauro Filho ( o poeta Mário) e até o vilão Diogo (Armando Babaioff), foram igualmente fenomenais.

Terminal, Fagundes se recusa a ir para o hospital para morrer. Prefere ficar em casa, ao lado dos familiares e seu pedido é respeitado pelo médico da família. Então, ele se despede dos filhos externando os melhores sentimentos: fala do orgulho que tem deles, do amor, e assim faz com todos os presentes, num emocionado e fraterno adeus.

Por fim, sozinho faz suas reflexões e diz não sentir mais medo, mas curiosidade sobre o que vai encontrar do outro lado. A câmera fecha em close no seu rosto e ele apenas sorri, como se estivesse se despedindo do público que acompanhou a história. Emocionante. Belo. Poético. Como foi Bonsucesso em sua trajetória.

A novela fala sobre a importância de viver com a consciência de que nossos dias são finitos e únicos. É sobre saber valorizar, de forma intensa, as pequenas coisas do cotidiano, afirma Paulo Halm, autor da novela com Rosane Svartman.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.