Só, Papa pede pela humanidade

G1/ACIDigital

Numa cena histórica, o Papa Francisco, acostumado a pregar para multidões, rezou sozinho nesta sexta (27). Diante da imensa praça de São Pedro vazia, ele deu a bênção e a indulgência plenária ao mundo pela pandemia de coronavírus, comovendo o mundo e transcendendo todos os credos.

Foi um ritual inédito, durante o qual ele deu a bênção “Urbi et Orbi” (à cidade e ao mundo) a todos os fiéis. A bênção permite que mais de 1,3 bilhão de católicos obtenham a indulgência plenária, ou seja, o perdão de seus pecados, em um momento em que medidas de confinamento afetam mais de 3 bilhões de pessoas.

A bênção extraordinária Urbi et Orbi é a mesma que os pontífices costumam transmitir apenas em 25 de dezembro e no domingo de Páscoa, datas em que se lembra o nascimento e a morte de Jesus.

A imagem do Cristo milagroso que o Papa Francisco visitou em 16 de março na igreja romana de São Marcelo para rezar pelo fim do coronavírus foi retirada de seu altar e transportada à Praça de São Pedro, para que pudesse estar presente durante a bênção Urbi et Orbi do Santo Padre.

Esta escultura foi venerada como milagrosa pelos romanos depois de ser a única imagem religiosa que ficou intacta após o incêndio que destruiu completamente a igreja em 23 de maio de 1519.